ENSAIO SUL-BRASILEIRO DE STATICE INICIA EM 2020


Figura 1. Arranjo floral de statice apresentando hastes secas e flores ainda pigmentadas.

As Equipes PhenoGlad dos três estados do Sul do Brasil estão iniciando um grande esforço científico com a cultura da statice (Limonium sinuatum (L.) Mill.), com testes em instituições, escolas e produtores rurais, marcando um grande passo no projeto Flores para Todos. O ensaio visa estudar e compreender a ecofisiologia, a fenologia, a adaptação e a qualidade de hastes florais da statice nas condições edafoclimáticas de toda a Região Sul do Brasil. A statice é uma flor de corte, rústica, apropriada para o cultivo a campo, que não requer altos investimentos e, principalmente, tem vasta aceitação pelo consumidor, pois apresenta uma grande vantagem: a alta durabilidade pós-colheita (Figura 1). 

Figura 2. Mapa da região Sul do Brasil com os 15 locais onde serão conduzidos os testes com a cultura da statice.

Ao todo estarão participando 15 municípios (Figura 2). No Paraná o ensaio será realizado pelas equipes PhenoGlad da Universidade Tecnológica Federal do Paraná em Dois Vizinhos, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná em Marechal Cândido Rondon e da Universidade Federal do Paraná em Curitiba. As equipes PhenoGlad da Universidade Federal de Santa Catarina em Curitibanos e do Instituto Federal Catarinense de Concórdia e de Rio do Sul estarão conduzindo os trabalhos em Santa Catarina. Por fim, no Rio Grande do Sul, além da Universidade Federal de Santa Maria Campus Sede em Santa Maria, o ensaio será conduzido pelas Equipes PhenoGlad dos Campi da UFSM de Frederico Westphalen e Cachoeira do Sul, do Instituto Federal Sul-rio-grandense dos Campi de Bagé e de Pelotas, da Universidade Federal do Pampa em Itaqui, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul de Bento Gonçalves. Além das instituições federais de ensino também estarão participando do ensaio a Escola Estadual de Ensino Fundamental Nossa Senhora Aparecida de Júlio de Castilhos e produtores rurais de Dilermando de Aguiar, Cachoeira do Sul, Pelotas e Pinto Bandeira. O trabalho realizado nos produtores rurais terá a participação fundamental da EMATER-RS/Ascar, que irá auxiliar na orientação e coleta de dados.

Figura 3. Mudas de statice 14 dias após a semeadura em Santa Maria, Rio Grande do Sul.

Para o ensaio, foram escolhidas duas cultivares, a Purple (de cor roxa) e a Yellow (de cor amarela). A produção de mudas de statice de ambas as cultivares iniciou em maio no Rio Grande do Sul (Figura 3) e em junho no Paraná (Figura 4). Os três municípios de Santa Catarina irão receber as mudas produzidas em Santa Maria/RS, assim como os outros oito municípios do RS. No Paraná, o primeiro local a realizar a semeadura foi em Marechal Cândido Rondon, sob coordenação da Professora Fabíola Villa da Equipe PhenoGlad Unioeste. 

Figura 4. Plântulas de statice emergidas quatro dias após a semeadura em Marechal Cândido Rondon, Paraná.

O transplante das mudas nos locais está previsto para a segunda quinzena de julho, buscando que o cultivo da statice ocorra no período recomendado, de modo que as exigências de temperatura, vernalização e fotoperíodo sejam supridas para garantir seu florescimento. Desta forma, com o Ensaio Sul-Brasileiro de Statice a Equipe PhenoGlad poderá definir como esta espécie de flor de comporta nos diferentes locais do Sul do Brasil e a partir destes resultados, gerar informação prática e de qualidade para viabilizar a introdução da statice no Projeto Flores para Todos e orientar os produtores rurais na produção. Atendendo assim, a demanda de produtores e extensionistas por oferta de novas alternativas para diversificação da propriedade rural e geração de renda para o produtor rural.

Por Regina Tomiozzo, doutoranda na Equipe PhenoGlad pelo Programa de Pós-graduação em Agronomia da UFSM.

Acompanhe o Projeto Flores para Todos e a rotina e as ações da Equipe PhenoGlad nas redes sociais oficiais da Equipe no Facebook, no Instagram, no Twitter e no canal do YouTube.

Deixe um comentário