Mês de Janeiro é marcado por variabilidade na precipitação do RS


Por: Meteorologista Stefanía Dalmolin da Silva e equipe SimulArroz

A precipitação pluvial é o elemento meteorológico que apresenta maior variação espacial e temporal. Durante a primeira quinzena de Janeiro de 2017, a precipitação no Rio Grande do Sul apresentou altos acumulados, principalmente na metade Norte do Estado, com volumes que variaram de 75 a 200 mm (Figura 1A). Por outro lado, foi possível observar durante o mesmo período, que na região Sul e nas proximidades da Lagoa dos Patos ocorreu menor acúmulo de precipitação (25 a 125 mm). Já na segunda quinzena do mês, o volume precipitado foi menor para todo o Estado, com acumulados entre 25 a 100 mm (Figura 1B).

Observando o acumulado mensal (Figura 2B), é possível notar que em muitas localidades do Estado a precipitação (175 – 250 mm) foi maior que a normal climatológica (125 – 175 mm), Figura 2A, principalmente em parte da Campanha, no Centro-leste e no Nordeste do Estado. No Extremo Sul e na região da Lagoa dos Patos, a precipitação (25 – 100 mm) foi próxima ou menor que a normal climatológica (100 – 125 mm).


As precipitações pluviais do mês de janeiro garantiram umidade adequada no solo para as culturas de sequeiro que, de maneira geral, apresentam ótimo crescimento e desenvolvimento. A maioria das lavouras de soja no RS encontra-se em florescimento e enchimento de grãos, fase crítica para definição dos componentes de rendimento (número de legumes por planta e número de grãos por legume). Todavia, muitas lavouras de soja semeadas em terras baixas estão com a produtividade de grãos comprometida em virtude do excesso de chuvas, que prejudica a fixação biológica de nitrogênio e o crescimento das plantas. Para as lavouras de milho safra que se encontravam na fase de colheita, a redução das chuvas durante a segunda quinzena do mês de janeiro favoreceu essa operação. As lavouras de arroz irrigado que estavam em florescimento e na fase inicial do enchimento de grãos foram prejudicadas pela baixa disponibilidade de radiação solar durante a primeira quinzena de janeiro e favorecidas pela alta temperatura e intensidade da radiação solar durante a segunda quinzena desse mês.

As pastagens nativas e cultivadas apresentam ótimo crescimento vegetativo devido à boa disponibilidade hídrica no solo.
 
 
 
 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *